Venda do Clube Saldanha da Gama é autorizada para virar museu

2 de janeiro de 2017

Notícia da Prefeitura Municipal de Vitória
Foto: Carlos Antolini – PMV

A venda do Clube Saldanha da Gama foi autorizada pela Câmara de Vereadores, no final da tarde da última quinta-feira (29), para que a edificação histórica seja usada exclusivamente com fins culturais, sendo 70% do espaço destinado a museu. O recurso proveniente dessa operação poderá ser usado na restauração do Mercado da Capixaba e em outras ações relacionadas à preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade.

O próximo passo do município é a elaboração de um edital de licitação por concorrência para que seja selecionada a melhor proposta de venda. O prefeito de Vitória, Luciano Rezende, já recebeu oficialmente o projeto de implantação do Museu da Imigração e Colonização do Solo Espírito-Santense, feito pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) neste ano. Todas as propostas apresentadas serão avaliadas.

“Desde 2013, trabalhamos com empenho para regularizar a edificação. Foi um grande esforço da equipe feito até este momento para permitir que a cidade use novamente como espaço cultural o Saldanha, que foi referência histórica na prática de esportes e na realização de grandes bailes”, disse a secretária de Desenvolvimento da Cidade, Lenise Loureiro.

História

O Forte São João foi edificado no período colonial para proteger a cidade dos invasores. A fortaleza teve um papel imprescindível para a defesa da Capitania do Espírito Santo, principalmente a partir de 1592, quando o navegador inglês Candish, temido em todo mundo, ameaçava invadir a ilha. Com sua importância nas batalhas, tornou-se testemunho de resistência do povo capixaba que venceu por duas vezes os holandeses.

Em 1767, a edificação ganhou peças de artilharia e enormes paredes de pedra que transformaram o Forte em uma figura imponente de defesa territorial. O Clube de Regatas Saldanha da Gama comprou a antiga edificação do Forte São João, em 1931. Apesar da prática de esportes ser a sua principal atividade, o Saldanha, a partir da década de 20, passou a investir em festas, concursos e eventos que animavam a elite capixaba.

Sempre contando com a influência de seus associados, passou por muitos reparos e reformas até 1984, quando se tornou um imóvel tombado pelo município. A partir daí, nenhuma obra que descaracterizasse a arquitetura original foi realizada. A muralha do clube é tombada em nível estadual e considerada de interesse de preservação.

Deixe um comentário

  • Apoio

    Actual Contabilidade
  • Patrocínio

    Lei Rubem Braga Prefeitura de Vitória Grupo CJF Vale
  • Realização

    Ofício Comunicação e Cultura