Monumentos são pichados e destruídos

25 de Janeiro de 2017

Reportagem Weslei Radavelli, jornal A Tribuna

Monumentos históricos da Grande Vitória estão desfigurados pela pichação e pelo vandalismo. Tintas em spray marcam várias estátuas e bustos que fazem parte da história do Espírito Santo e, em alguns casos, há até mesmo destruição física.

É este, por exemplo, o caso do “Monumento à Grécia”, símbolo da amizade entre os capixabas e a colônia grega radicada no Espírito Santo.

Inaugurado em 1988, na Praça dos Desejos, na Praia do Canto, em Vitória, o monumento está pichado e várias de suas pastilhas foram retiradas. A denúncia de depredação do monumento foi feita na edição de ontem de A Tribuna, na coluna de Maurício Prates.

A administradora Ekaterini Vazeos, 46, filha do ex-cônsul da Grécia no Espírito Santo, Constantin Vazeos, confirmou que o cenário no local é de abandono. Ekaterini contou que o monumento foi uma ideia de seu pai, como forma de valorizar a comunidade grega no Estado.

“Ele trouxe a proposta ao então prefeito de Vitória, Hermes Laranja, e, por meio do Consulado, executou toda a obra. É uma pena encontrar este monumento, que foi idealizado em homenagem ao povo grego, neste estado de conservação”, criticou. Independente do laço familiar, a administradora sugere uma manutenção no espaço. “Serve como ensino de outras culturas”, acrescentou.

Para a coluna Maurício Prates, o professor do Centro de Cultura Grega no Estado, Kosmas Poulianitis, lamentou as condições do marco público. “É um monumento não só da Grécia, mas universal, por ser o berço da civilização. Representa a liberdade, a democracia”, observou.

Ainda em Vitória, nem bairros nobres ficam livres da sujeira. Em Jardim da Penha, o busto na praça em homenagem a Philogomiro Lannes, um pastor que viveu seu ministério no Estado, também foi manchado.

Já na Prainha, em Vila Velha, a âncora que compõe uma homenagem à Marinha, na praça em frente à Igreja do Rosário, foi pichada e está com a pintura desgastada.

Obras vão ser restauradas

A Prefeitura de Vitória, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, informou, em nota, que está sendo feito um levantamento dos monumentos públicos da cidade com o objetivo de identificar o tipo de restauro necessário para cada uma das esculturas.

Em relação ao “Monumento à Grécia”, informou que foi feita visita ontem, junto com uma equipe da Secretaria Municipal de Serviços (Semse), para limpeza do local, que também receberá obra até o fim desta semana.

A prefeitura acrescentou que recentemente realizou limpeza da estátua do músico Maurício de Oliveira, na praia de Camburi, e dos monumentos Cruz Reverente, na Praça do Papa, e Rotary Club, na Praia do Canto, todas pichadas por vândalos.

Já a Secretaria de Serviços de Vitória informou que o prejuízo com vandalismo, de forma geral, é de cerca de R$ 200 mil por mês. O valor se refere a reparos em canteiros e jardins, reposição de papeleiras (35 a 40 por mês) e outros itens.

A Prefeitura de Vitória ressaltou ainda que casos de depredação podem ser denunciados, pelo telefone 190, ao Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes).

Procurada, a Prefeitura de Vila Velha não se pronunciou até o fechamento desta edição sobre o assunto.

Deixe um comentário

  • Apoio

    Actual Contabilidade
  • Patrocínio

    Lei Rubem Braga Prefeitura de Vitória Grupo CJF Vale
  • Realização

    Ofício Comunicação e Cultura