Abandonado, prédio do Saldanha será vendido por R$ 3,5milhões

10 de dezembro de 2016

Reportagem Jornal A Gazeta

O casarão do Forte São João, na Avenida Beira-Mar está abandonado há dois anos e os moradores de Vitória tem lamentado as más condições em que se encontra a construção. Segundo a prefeitura, o imóvel vai ser vendido para se tornar um museu.

A fortaleza militar foi construída em 1592 para defender a Capitania do Espírito Santo. A construção também já foi cassino, sede do Clube de Regatas Saldanha da Gama e passou a pertencer à Prefeitura de Vitória há 10 anos.

O espaço está inutilizado desde outubro de 2014, com a saída da Secretaria de Esportes. Esses dois anos de abandono deixaram o imóvel em péssimas condições, com pisos soltos, fiação danificada, paredes descascadas e infiltrações.

Segundo a secretária de Desenvolvimento do município, Lenise Loureiro, a gestão teve dificuldades burocráticas para conseguir aautorização da Secretaria de Patrimônio da União para vender o Forte.

A área de 4mil m2 está sendo avaliada e deve ser vendida em R$ 3,5 milhões para se tornar um museu da colonização do Espírito Santo.

“Nós já recebemos oficialmente o Sesc com a proposta do museu da colonização. Mas a gente vai mandar uma mensagem de lei na intenção de venda desse imóvel com finalidade específica cultural, museu. Se oferecerem uma proposta ainda mais vantajosa é claro que será avaliado”, informa Lenise.

Segundo a secretária, o dinheiro apurado com a venda do casarão será usado para restaurar o mercado da capixaba, no Centro de Vitória. O local será transformado em centro cultural e gastronômico.

SÍMBOLO

O Forte São João foi edificado no período colonial para proteger a cidade dos invasores e se tornou símbolo da resistência do povo capixaba. O Clube de Regatas Saldanha da Gama comprou a antiga edificação do Forte São João, em 1931.

Apesar do espaço ter vocação para as práticas esportivas, a partir da década de 20 passou a investir em festas e concursos da elite capixaba. Com o apoio de associados, passou por muitos reparos e reformas até 1984, quando se tornou um imóvel tombado por Vitória.

Desde então, nenhuma obra que descaracterizasse a arquitetura aconteceu. A muralha do clube é tombada pelo estado.

A última reforma do Saldanha aconteceu em 2010, quando abrigou a Secretaria de Esportes.

(Com informações da TV Gazeta)

Deixe um comentário

  • Apoio

    Actual Contabilidade
  • Patrocínio

    Lei Rubem Braga Prefeitura de Vitória Grupo CJF Vale
  • Realização

    Ofício Comunicação e Cultura