Maurício de Oliveira eternizado em escultura na praia de Camburi

25 de Maio de 2016

Reportagem Iara Diniz – jornal A Gazeta
Fotos Carlos Alberto Silva – jornal A Gazeta

A Gazeta 25 de maio de 2016 – Capa / A Gazeta 25 de maio de 2016

Um dos maiores violonistas brasileiros, o capixaba Maurício de Oliveira ganha hoje uma homenagem na capital. A imagem dele será eternizada em uma estátua de bronze na Orla de Camburi, uma das praias mais populares de Vitória.

Maurício será o primeiro artista homenageado com uma estátua. Ícone da cultura local, ele foi um dos maiores violonistas país e se destacou ao ser o primeiro brasileiro a gravar em disco a obra completa para violão de Heitor Villa Lobos. O músico morreu em 2009, aos 84 anos.

Para o secretário de Cultura de Vitória, Francisco Grijó, a arte vai manter viva a memória de Maurício e aproximar os capixabas de um dos maiores símbolos da cultura do Estado. “Maurício de Oliveira foi um artista que muito contribuiu para que a arte fosse respeitada e valorizada, e não somente a música. É um ícone – ou mais que isso. Esperamos atiçar a curiosidade das pessoas sobre ele e que, a partir disso, elas conheçam outros grandes nomes da música feita em Vitória e no Estado”, destacou.

PESQUISA

Foram 90 dias até que a escultura ficasse pronta. A imagem representa, nos mínimos detalhes, o mestre da música em seu tamanho natural, sentado em um banco com seu inseparável companheiro, o violão.

A obra foi confeccionada pelo artista argentino FernandoPoletti, que venceu o edital da Prefeitura de Vitória e recebe R$ 160 mil para realizar a produção.

Fernando Poletti - Foto Carlos Alberto Silva - A Gazeta

Fernando não conhecia Maurício e mergulhou em fotos, depoimentos e principalmente na música para captar cada característica do violonista. “Eu precisava saber exatamente como ele era, a personalidade, a postura, a posição de pernas cruzadas, que era algo muito pessoal. Acredito que ao olhar para a escultura, as pessoas vão se lembrar dele e de toda a alegria que transmitia”, disse Fernando.

Ao contrário da escultura do poeta Carlos Drummond de Andrade, no Rio de Janeiro, os óculos de Maurício não foram feitos separados da escultura, para evitar roubos. “Foi uma encomenda da própria prefeitura, porque o objetivo é fazer algo que dure. Então, os óculos estão incorporados à escultura. É fixo”, explicou o artista.

A inauguração da escultura acontece hoje à noite, às 19 horas, no calçadão de Camburi, próximo ao quiosque 4. A obra é uma parceria da Secretaria de Cultura de Vitória e do Instituto Sincades, responsável pelos recursos financeiros.

Mauricio de Oliveira - Foto Carlos Alberto Silva - A Gazeta

VIDA E OBRA

Nascimento

1925 – Maurício de Oliveira nasceu em 19 de julho de 1925, em Vitória. Foi o oitavo filho de Sebastião Rodrigues de Oliveira e Maria de Oliveira.

Música

1931 – Aos 6 anos, Mauríci começa a tocar cavaquinho. Quatro anos depois, ele forma uma dupla com o irmão mais velho, José.

Carreira

1952 – Maurício se torna o primeiro capixaba a gravar um disco, um compacto simples com duas músicas.
1955 – O músico vai para Varsóvia (capital da Polônia) e conquista o segundo lugar no 5º festival Mundial da Juventude
1960 – O violonista grava o disco “Maurício de Oliveira e seu Violão”
1970 – Se torna o primeiro músico brasileiro a gravar em disco a obra completa para violão de Heitor Villa-Lobos.
1982 – Torna-se diretor da Escola de Música do Espírito Santo

Morte

2009 – Aos 84 anos, Maurício morre.

Deixe um comentário

  • Apoio

    Actual Contabilidade
  • Patrocínio

    Lei Rubem Braga Prefeitura de Vitória Grupo CJF Vale
  • Realização

    Ofício Comunicação e Cultura