Um abraço simbólico pela preservação da história.

15 de junho de 2015

Jornal A Gazeta
Foto: Marcos Fernandez
Reportagem: Diná Sanchotene

Cantando o Hino Nacional, moradores de Santa Teresa, no Espírito Santo, deram ontem um abraço simbólico em um casarão que a prefeitura da cidade quer derrubar para dar espaço à construção de uma ponte por onde passarão caminhões pesados. Para os moradores, o prédio representa a história daquela que é a primeira colônia italiana do Brasil.

Um dos organizadores do abraço, Marcos Leão, defende que os imóveis do município devem ser tombados pelo Patrimônio Histórico.

“Sem o tombamento, não há como ter controle. Somos contra a demolição do casarão, pois a passagem de caminhões pesados vai danificar ainda mais a estrutura dos prédios localizados próximos ao local. Um deles é feito de estuque”, disse ele.

A arquiteta Priscila Pizziolo da Motta diz que não há um estudo sobre os impactos da construção de uma ponte.  Já existe, segundo ela, um projeto para a construção de um contorno para a passagem de caminhões. “É uma incoerência derrubar a casa para a construção de ponte”, disse.

O prefeito Claumir Zamprogno também defende o contornou mas diz que depende da ajuda do governo do Estado para fazer a obra.

Há 30 anos, o então prefeito Waldyr Loureiro quis derrubar o casarão, mas desistiu. Hoje,  segundo Waldyr Loureiro Filho, sua família defende a preservação do imóvel. “Antes a cidade vivia da agricultura, mas hoje depende do turismo”, diz.

Para a historiadora e escritora Sandra Gasparini, a parte antiga da cidade deve ser preservada.

A Secretaria de Estado da Cultura recebeu o projeto de demolição da casa, e diz que fará a análise, juntamente com a Câmara de Patrimônio Arquitetônico, Bens Móveis e Acervos do Conselho Estadual de Cultura.

“DECISÃO ESTÁ MANTIDA”, DIZ PREFEITO

O Prefeito de Santa Teresa, Claumir Zamprogno (PSB), diz que mantém a decisão de construir a ponte. Ele promete publicar, nesta semana, no Diário Oficial, o Termo de Utilidade Pública e,  em seguida, encaminhar à Câmara de Vereadores o projeto que visa a autorizar a desapropriação do casarão.

Zamprogno diz que a maior parte da população é a favor da derrubada do prédio. “Vereadores se mostram a favor. Moradores e comerciantes também. Quero entregar a ponte no dia 10 de dezembro”, diz.

A Gazeta 15 de junho de 2015

Deixe um comentário

  • Apoio

    Actual Contabilidade
  • Patrocínio

    Lei Rubem Braga Prefeitura de Vitória Grupo CJF Vale
  • Realização

    Ofício Comunicação e Cultura