Investigação de queda de monumento

28 de maio de 2015

Reportagem: Alessandro de Paula – jornal A Tribuna
Fotos:  Adriano Maratimba e Alessandro de Paula

O Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES) está investigando se houve falhas em relação às providências de preservação das Ruínas do Trapiche, importante monumento histórico de Marataízes, no litoral Sul, que desabou no último domingo.

O órgão informou, por nota, que aguarda “laudos técnicos para analisar a possibilidade de adoção de quaisquer medidas, ante a impossibilidade de apurar se houve erro no escoramento ou se ocorreu em razão do estado das ruínas”.

Na semana passada, a prefeitura instalou postes e amarrou as paredes com cabos de aço para escorar a estrutura. No entanto, poucos dias após a intervenção caiu a parede frontal, ficando de pé a lateral e partes de algumas colunas.

A psicóloga Ivilise Soares, uma das herdeiras das famílias que doaram o Trapiche à prefeitura, alegou que a contenção não teve acompanhamento de engenheiro especializado.

Segundo o MP-ES, no ano passado foi instaurado inquérito civil pedindo providências para a restauração ou preservação das paredes. O órgão afirma que por nove vezes notificou a prefeitura, alertando para os riscos. Também foi oficializada a Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

A Secult disse, em nota, que em 2010 uma engenheira do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) orientou o município sobre as medidas para a conservação. A prefeitura afirmou que marcou reunião para amanhã com equipe de especialistas no Rio de Janeiro para tratar do assunto.

Disse ainda que tão logo recebeu laudo da Defesa Civil de possível desmoronamento fez a contenção, e garantiu que a intervenção teve orientação de engenheiro.

A Tribuna – 28 de maio de 2015

Deixe um comentário

  • Apoio

    Actual Contabilidade
  • Patrocínio

    Lei Rubem Braga Prefeitura de Vitória Grupo CJF Vale
  • Realização

    Ofício Comunicação e Cultura